segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Carreira em Y - Uma melhor qualidade de vida Profissional

Um bom profissional técnico não necessariamente faz um bom gestor. Quando um técnico é convidado a assumir um cargo de liderança, ele deixa de lado a atividade técnica que ele tem prazer de fazer e acaba tendo que se preocupar com assuntos mais administrativos e, principalmente, com a gestão de pessoas. Para que estes talentos e conhecimentos não se percam, uma boa alternativa para as empresas é apostar em estruturas que possam oferecer possibilidades de carreiras em Y.
A carreira em Y é uma excelente saída para suprir a falta de bons profissionais técnicos no mercado e pode focar investimentos da empresa no que realmente interessa: o desenvolvimento de novos projetos e produtos. Este recurso também retém profissionais que são muito qualificados ou que tem potencial para se tornarem muito qualificado dentro área técnica. É uma tendência visto que as pessoas buscam cada vez mais felicidade no trabalho, querem fazer algo com o que se identifiquem e sentem necessidade de se sentirem realizadas profissionalmente.
Tipos de carreira
Existe um “mito”, especialmente na cultura brasileira, de que só quem assume uma posição de liderança tem sucesso na carreira. Ou seja, cargos sem escopo de gestão são considerados menos importantes. Se este “mito” fosse verdade, o que seria daqueles profissionais que são referências em suas áreas de atuação, pelo resultado de suas atividades e projetos, mas que não seguiram por esse caminho?
Para adequar suas necessidades e respectivas estruturas aos perfis de seus profissionais, as empresas podem optar por um destes dois planos de desenvolvimento de carreira: a carreira linear e a carreira em Y.
Carreira linear é aquela em que o profissional só tem três possibilidades de movimentação: crescimento vertical, estagnação ou demissão. É o tipo de carreira mais tradicional, com um percurso único, e que não atende à necessidade de profissionais com perfis muito técnicos. Empresas que oferecem carreiras lineares assumem o risco de grandes profissionais serem promovidos e não se tornarem bons líderes – o que significa que o fato de um profissional mostrar competência para determinada atividade não garante que tenha as competências necessárias para um cargo de gestão. Neste modelo, o profissional assume novas funções no trabalho à medida que é promovido até exercer funções de chefia. Ou seja, o estagiário passa a ser auxiliar, depois se torna analista e, assim por diante, até chegar a um cargo da alta gestão.


Já no caso de carreira em Y é um sistema de promoção que permite duas opções, paralelas e com a mesma importância, de crescimento hierárquico, que permitem que os profissionais se tornem gestores ou especialistas. A estrutura de carreira em Y possibilita um plano de desenvolvimento com mobilidade e ganho de sênior idade, sem a necessidade de assumir posições de supervisão, gerência ou diretoria.
Dentro da estrutura de carreira em Y, fala-se em dois eixos: especialista e generalista. Mas, na verdade, subentendem-se múltiplas possibilidades de crescimento em cada um. Ou seja, não são dois eixos “lineares”. É uma boa alternativa para permitir que os profissionais sejam protagonistas de suas carreiras, tenham mais autonomia, se envolvam com atividades que de fato gostam de fazer e se sintam mais realizados. Para que esta estrutura seja eficiente deve-se permitir que um especialista conheça com clareza o plano de desenvolvimento que a empresa oferece para sua carreira e quais são os requisitos necessários para “chegar lá”.

Do ponto de vista da empresa
Para saber se uma empresa se adéqua melhor a uma opção ou a outra, é importante avaliar se profissionais técnicos são pontos chave naquela organização (carreira em Y) ou se a gestão de negócios e clientes é o mais importante (carreira linear).
Esta reflexão é importante para indústrias em geral, farmacêuticas, seguradoras e outras empresas onde o conhecimento técnico tem que ser constantemente aprimorado e desenvolvido. Ter excelentes especialistas pode ser um ponto importante no diferencial competitivo de uma empresa, perante a concorrência.

Fonte de Pesquisa : http://exame.abril.com.br/rede-de-blogs/carreira-em-geracoes/2013/09/10/carreira-em-y-ha-vida-alem-do-cargo-de-gestor/

Nenhum comentário:

Postar um comentário