quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Mobilidade pode aumentar receitas em até 10%, indica pesquisa da Unisys

A mobilidade pode trazer resultados surpreendentes para as empresas, de acordo com recente pesquisa da Unisys com aproximadamente 450 executivos das áreas de negócios e tecnologia em 13 países, incluindo o Brasil. Para 57% dos entrevistados no país, o percentual da receita das companhias aumentou entre 5% e 10% em 2013 por conta das iniciativas de mobilidade. 

''Estes resultados mostram que o sucesso da mobilidade é baseado em um bom planejamento, estratégias inteligentes e execução consistente'', comenta Helcio Beninatto, General Manager & Vice-presidente da Unisys para América Latina. ''Por meio de uma abordagem disciplinada e integrada para mobilidade, as organizações podem aumentar a produtividade, receita, impulsionar a inovação e, principalmente, encontrar novas maneiras de atender os seus clientes”. 

A pesquisa, encomendada pela Unisys e realizada pela IDG Connect, compara “empresas móveis” - consideradas formadoras de tendências e que possuem estratégias de mobilidade, métricas claras e planos de governança - com organizações sem estratégia de mobilidade. 

Entre os principais resultados apontados pelos brasileiros, estão: 

1. Ganhos financeiros e em produtividade: 
87% dos brasileiros que participaram do estudo afirmaram que as iniciativas de mobilidade das empresas criaram ou possibilitaram novas fontes de receita em 2013; a fonte dessas receitas, para eles, é de aquisição de novos clientes via canais móveis (45%) e novos produtos e serviços criados a partir da mobilidade (43%);
66% responderam que as suas instituições medem este retorno sobre o investimento formalmente com processos tecnológicos, o que corresponde ao dobro da média mundial (33%); 
56% consideram que a satisfação do consumidor é um fator importante na hora de medir o retorno sobre o investimento; 
57% apontam que o percentual da receita das empresas aumentou entre 5% e 10% graças às iniciativas móveis; 
Pouco mais da metade dos entrevistados brasileiros (51%) disse que os ganhos em produtividade com utilização de dispositivos móveis ficam entre 5% e 10%, o que representa 10 pontos a mais que a média mundial. 
2. Mobilidade dentro das empresas: 
34% dos brasileiros acreditam que o que mais motiva a empresa a investir na mobilidade é o aumento da produtividade; 
enquanto que 31% pensam que a principal razão é estreitar o relacionamento com os clientes; 
De acordo com 59% dos participantes, a área de serviço de atendimento ao consumidor é a que mais se beneficia da mobilidade, seguido da área de gestão de relacionamento com o cliente (57%), assim como operações internas (48%), vendas, RH, finanças e TI (41% cada); 
Boa parte dos entrevistados (41%) define suas empresas como móveis – com planos bem organizados, métricas definidas e integradas às estratégias de negócios e políticas da empresa – em comparação com apenas 20% da média mundial; 
Para 52% dos entrevistados, as empresas estão colocando em prática a proteção ao acesso de dados via dispositivos móveis; 
Para 48% dos participantes do Brasil, o maior desafio para os próximos dois anos é criar estratégias para fornecer mais suporte móvel para os clientes. 
3. Desafio para adoção da mobilidade nas empresas: 
Para 72% dos executivos entrevistados, a vulnerabilidade da rede quando acessada a partir de dispositivos móveis representa o principal desafio para as companhias serem totalmente móveis; enquanto que um número significativo (66%) se preocupa com outros aspectos relacionados à segurança e outros 64% pontuam o aumento de custos com manutenção como um importante desafio para adoção da mobilidade total; 
61% acham que a falta de uma estratégia de negócios associada à mobilidade ainda é um desafio e exerce influência para a não adoção da mobilidade total. 

Fonte : IDG Connect - http://www.idgconnect.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário