segunda-feira, 8 de abril de 2013

Quatro servidores virtuais pelo preço de um servidor dedicado - Isto é Computação em nuvem


Atualmente, muitas empresas de tecnologia oferecer serviços em cloud computing. Mas, afinal, o que é um serviço de computação em nuvem? Quais os benefícios tangíveis para a empresa que migra para a nuvem? Como escolher o parceiro correto para ajudar neste novo caminho? Estas são perguntas pertinentes que trataremos a seguir.
Para identificar as “pegadinhas” da nuvem, convém ter clareza quanto aos requisitos para o serviço ser considerado de computação em nuvem. Primeiro, a capacidade computacional da nuvem roda em processadores da família x86, preferencialmente montados em blades de alta densidade. Nuvem não está associada a máquinas RISC nem servidores dedicados. Segundo, os serviços são oferecidos por meio de protocolos e formatos web (como URLs, http e IP) acessados preferencialmente pela internet. O modelo de comercialização é o pagamento pelo uso, e não pelo custo do equipamento. Isso elimina o leasing de servidores dedicados. Finalmente, para o serviço ser de computação em nuvem, tem que usar virtualizador, para fatiar máquinas físicas em servidores virtuais, do tamanho da sua aplicação, nem maior, nem menor, que podem ser instanciados em poucos cliques.
Como o empresário brasileiro pode se beneficiar com isso? A computação em nuvem permite a redução do número de colaboradores do departamento de TI ou do quadro de terceiros, libera espaços em escritórios, reduz o tempo de ativação de infraestrutura para projetos novos, acaba com problemas de lentidão no servidor em cliques, e transforma custos de aquisição de equipamentos e aplicativos em custos de aluguel de serviços de TI. A empresa não erra no dimensionamento, contrata somente o que vai usar. Tem-se o custo em linha com a demanda.
Exemplificando, a computação em nuvem permite substituir a contratação de um servidor dedicado, por uma arquitetura em nuvem com quatro servidores virtuais à paridade de custo. A boa prática recomenda separar sua aplicação do seu banco de dados, melhorando a resiliência e desempenho do conjunto. Tendo vários servidores em cloud, recomenda-se usar dois para rodar a aplicação, e mais dois para rodar o banco de dados, equilibrados pelo serviço de load balancing do seu provedor. O adequado dimensionamento dos servidores virtuais é feito online, num par de cliques, escalando verticalmente os mesmos. Essa arquitetura aumenta dramaticamente o desempenho e estabilidade da aplicação, permitindo manutenções preventivas e corretivas, praticamente sem down time  Experimente a nuvem, afinal, “quem tem UM servidor dedicado, não tem nenhum”. Peça uma cotação e comprove, é levar quatro servidores virtuais pelo preço de um servidor dedicado.
Finalmente, na hora de migrar suas aplicações para a nuvem, busque prestadores que usem equipamentos de primeira linha, instalados em data centers certificados, administrados por especialistas certificados, e que mostrem uma preocupação legítima com a segurança dos seus dados. Avalie as funcionalidades disponíveis para aumentar a segurança do armazenamento dos seus dados e ateste onde serão guardados no Brasil. Teste a solução antes e note que as empresas líderes do mercado comercializam servidores virtuais online. Contrate um e teste o serviço. Estes detalhes fazem a diferença na qualidade do seu servidor cloud e no crescimento dos seus negócios.
*Mauricio Cascão é CEO da MANDIC CLOUD SERVICES, uma das principais empresas de Cloud Computing do Brasil.

Fonte de Pesquisa - Ti Bahia.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário